12 Contemporâneos – Estados Presentes

Museu de Arte Contemporânea de Serralves (Porto)

> 11 de Maio, 2014

Curadores: Suzanne Cotter e Bruno Marchand
Artistas: Ana Santos, André Sousa, Carla Filipe, Gabriel Abrantes, Mauro Cerqueira, Nuno da Luz, Pedro Barateiro, Pedro Lagoa, Priscila Fernandes, Sérgio Carronha, Sónia Almeida e !Von Calhau!
Esta exposição apresenta o trabalho de 12 artistas e coletivos de artistas portugueses cujas preocupações e posições estéticas vieram a caraterizar um certo campo de produção artística ao longo da última década. E cujas práticas refletem as mudanças nas condições da produção artística registadas nesse período. As obras dos artistas representados nesta mostra oferecem um contexto vital para pensar a arte do momento presente. Desenvolvida através de um processo de investigação em Portugal, e também no Reino Unido,  Alemanha e  EUA, onde muitos artistas vivem e trabalham, a exposição reflete sobre as atitudes críticas da arte em Portugal e de uma forma mais vasta sobre as realidades globais contemporâneas.
Criticamente envolvidos numa ampla diversidade de disciplinas que integram pintura, escultura, cinema, música, teatro e performance, os artistas apresentados em 12 Contemporâneos – Estados Presentes produzem uma variedade de posições singulares que concorrem para a formação de uma imagem relevante e coletiva da contemporaneidade.
..
No contexto da história das exposições do Museu de Serralves, 12 Contemporâneos – Estados Presentes tem como referência as exposições Dez Contemporâneos, comissariada por Alexandre Melo em 1992 e Imagens para os Anos 90, comissariada por Fernando Pernes em 1993. Dez Contemporâneos debruçava-se sobre a obra de uma geração de artistas considerada dominante nos anos 1980. Imagens para os Anos 90 foi vista como uma reação à nova década, que se desenrolou no rescaldo da queda do Muro de Berlim, do fim do apartheid na África do Sul e da consolidação do modelo económico neoliberal.

Na segunda década do século XXI, quando a comunicação digital, a globalização e as realidades pós-coloniais são dominantes, os artistas enfrentam novas condições e novas motivações para o seu trabalho. Os artistas portugueses fazem hoje parte de uma realidade cultural que usufrui de uma grande mobilidade mas que não deixa de ser localmente distinta e de ter na história, na língua e na situação política vectores capazes de definirem um campo de investigação vasto e comum.

Atividades relacionadas com a exposição

Em março, o Museu de Arte contemporânea de Serralves apresenta a conferência Exposições coletivas – uma reflexão crítica, a 14 e 15 de março. Contando com os contributos de críticos nacionais e internacionais, esta conferência organizada por Oscar Faria e pela coordenadora do Serviço Educativo de Serralves, Liliana Coutinho, apresenta um conjunto de paineis e mesas redondas que visam analisar e debater a história das exposições coletivas em Portugal nos últimos vinte anos.

Uma reflexão sobre os principais momentos de transição, dos anos 1980 para os anos 90, e depois para os anos 2000 será o ponto de partida para um debate sobre a importância e o estado atual da recepção crítica no âmbito da arte contemporânea e o modo como estas fertilizaram a produção artística da sua época.

+ info:

Museu de Arte Contemporânea de Serralves (Porto)

Artistas: 

Ana Santos (n. 1982, em Espinho. Vive e trabalha em Lisboa); André Sousa (n. 1980, no Porto, onde vive e trabalha); Carla Filipe (n. 1973, em Vila Nova da Barquinha. Vive e trabalha no Porto); Gabriel Abrantes (n. 1984, em Chapel Hill, na Carolina do Norte, E.U.A. Vive e trabalha em Lisboa e Cambridge); Mauro Cerqueira (n. 1982, em Guimarães. Vive e trabalha no Porto); Nuno da Luz (n. 1984, em Lisboa. Vive e trabalha em Berlim); Pedro Barateiro (n. 1979, em Almada. Vive e trabalha em Lisboa); Pedro Lagoa (n. 1975, em Leiria. Vive e trabalha em Lisboa); Priscila Fernandes (n. 1981, em Coimbra. Vive e trabalha em Roterdão); Sérgio Carronha (n. 1984, em Cascais, onde vive e trabalha); Sónia Almeida (n. 1978, em Lisboa. Vive e trabalha em Boston); !Von Calhau! (Dupla criada em 2006, no Porto).

(C) Imagens e Texto: cortesia Museu de Arte contemporânea de Serralves – Fundação de Serralves, 2014.

Anúncios