9º Edição dos Encontros de Fotografia de Bamako

Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa)

> 01.09.2013

Esta exposição faz parte do programa Próximo Futuro, um Programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, em África, na América Latina e Caraíbas.

Podemos intervir no futuro, no próximo futuro? Podemos, certamente. Não no sentido de o determinar, moldar, profetizar, ou encalhar numa utopia ou numa distopia. Mas sabemos que cada um de nós incidentalmente, ou todos em conjunto, nas decisões diárias, nos actos, nos episódios, nas ficções construídas, nas actualizações do real que produzimos, estamos a interferir no futuro. E, em alguns casos, e para o futuro mais próximo, até estamos habilitados a estabelecer previsões, ou seja, a construir extensões racionalizadas do presente, representações mais ou menos optimistas conforme a avaliação que dele fazemos e conforme o desejo de intervirmos para o acautelar. O futuro existe e, apesar da imprevisibilidade e do acidente, podemos intervir para que nem tudo seja informação sem destinatário, actividade sem desejo de realização.

– António Pinto Ribeiro (link: texto completo)

Para um mundo sutentável.

Texto das curadores: Michket Krifa, Laura Serani

Em 2010, muitos países africanos celebraram o quinquagésimo aniversário da sua independência. Para muitos deles, as celebrações constituíram a altura certa para fazerem o balanço das realizações nacionais e lançarem um olhar crítico não só sobre as estruturas políticas e sociais, como também sobre a distribuição de riqueza.

Para estes ‘Rencontres’, foram convidados fotógrafos e videógrafos, no sentido de testemunharem e identificarem áreas de acção e de resistência, tal como áreas impeditivas, tal como áreas impeditivas da construção de um mundo sustentável. Os diferentes trabalhos apresentados abordam o tema através de registos jornalísticos e documentais, bem como histórias ficcionadas ou metafóricas.

A variedade de temas e de linguagens escolhidos pelos artistas permite fazer o balanço  da produção artística actual, tanto no continente como na diáspora. E dá-nos a dimensão da efervescência e da renovação permanente da cena fotográfica africana, com destaque para a emergência de uma nova geração que inventa os seus próprios códigos expressivos.

Esta 9ª edição dos Encontros de Bamako tem um tema que foi proposto pelas suas curadoras. O tema que serviu de seleção às da cerca de 350 fotografias e os 10 vídeos apresentados pelos 55 fotógrafos e videastas, originários de vários países africanos, é “Para um mundo sustentável”. O tema comum, situação inédita dos Encontros de Bamako, revela uma preocupação que já é central à comunidade artística e aos fotógrafos em particular e traduziu-se numa rica diversidade de interpretações do respectivo tema pelos fotógrafos. Temos na exposição abordagens pessimistas, apocalípticas sobre o estado atual do mundo africano com responsabilidades para muitos governos que, em África, não cuidam das questões ambientais, mas também de muitos governos e empresas europeias, que fazem, de muitos territórios africanos, depósitos dos seus lixos, muitas vezes os mais tóxicos. (…)

(…) A arte, sendo uma representação do mundo, e o jardim, uma construção cultural, podem nesta exposição, dialogar na transparência da sua construção cenográfica.

– António Pinto Ribeiro

Michket Krifa (Tunísia, 1960)

Codirectora artística dos 8º e 9º Encontros de Bamako, vive e trabalha em Paris. Curadora independente de artes visuais no Médio Oriente e em África, a sua sensibilidade levou-a a organizar, em várias ocasiões, exposições temáticas no Irão, na Tunísia e na Argélia, em que se incluem diversas exposições sobre a condição feminina. Foi igualmente responsável por exposições coletivas e monografias, sobretudo com os trabalhos de Youssef Nabil, Zineb Sedira, Abbas, Jellel Gastelli, Jananne Al Ani e Shadi Ghadirian. É autora de vários artigos, ensaios e trabalhos sobre a fotografia e as artes visuais, colaborando com muitas conhecidas instituições e eventos, aos níveis europeu e mundial. Michket Krifa é também diretora artística e editorial de livros sobre fotografia.

Laura Serani (Itália, 1955)

Codirectora artística dos 8º e 9º Encontros de Bamako, vive em Paris. Curadora de exposições internacionais e de projetos na área do audiovisual e da edição, com uma carreira repleta de colaborações (Encontros de Arles, PhotoEspaña, Bienal de Moscovo, Maison Européenne de la Photographie), foi a comissária artística do Mois de la Photo de Paris, em 2008, e também a diretora, em 2007 e 2008, do SiFest em Itália. De 1985 a 2006, foi diretora da Collection Photo FNAC e das galerias de fotografia da FNAC, tanto em França como a nível internacional. Trabalha com várias editoras e participou em inúmeras publicações, entre as quais “La Photographie entre histoire et poésie”, Istanbul, de Ara Güler, e “La vie en rose”, de Malick Sidibé.

Clique nas imagens para ampliar:

Fotografias da exposição: This is Now | Making Art Happen, 2013.

Anúncios