Galeria da Salgadeiras (10 anos)

PD,jpg

Por ocasião do seu décimo aniversário, a Galeria das Salgadeiras, convidou o Arquitecto Paulo David a ser galerista por um dia. O resultado é a exposição colectiva ‘História Natural’ que estará patente, na galeria, até ao próximo dia 6 de Julho.

Paulo David foi distinguido, em 2012, com a Medalha Alvar Aalto, tendo sido o segundo arquitecto português a receber este prestigioso prémio, depois de Álvaro Siza Vieira, em 1988. No seu discurso de aceitação do prémio, Paulo David referiu que “A arquitectura é o ofício de assombro que, como a poesia e a música, precisa do silêncio. O pensamento habita o silêncio”. E, foi, precisamente, o silêncio o fio condutor desta exposição, com o intuito de promover uma reflexão sobre o processo artístico, o “papel” do artista enquanto ser pensante e crítico, a “realidade do artista” como reclamava Mark Rothko.

A exposição é composta por dois núcleos, tirando partido da especificidade do espaço físico da galeria. No piso térreo é apresentada parte da história da Galeria com obras de Cláudio Garrudo, Helena Gonçalves, Jaime Vasconcelos, Joanna Latka e Pauliana Valente Pimentel. No 1º andar é apresentado um depósito cultural que revela parte da história desses cinco artistas. Em ambos os contextos, pretende-se estabelecer um diálogo mais visual ou táctil com o visitante. Aqui os artistas revelam os seus processos artísticos. Expostos numa mesa, à semelhança dos gabinetes de curiosidades do século XVII e que representam a ante-câmara do que hoje entendemos por Museus, estarão objectos, instrumentos e trabalhos – uns acabados, outros nem sequer concretizados, referências literárias e pessoais. São, portanto, diversos os elementos que poderão dar pistas sobre o processo artístico e ajudar a revelar ao visitante as motivações, estéticas, formais e, ou, críticas, que estão subjacentes à actividade destes cinco artistas, ao longo destes dez anos. A arte como “acção social” como tão, visceralmente, assumiram o já referido Rothko e o incontornável Marcel Duchamp.

A mostra conta com obras, na sua grande maioria pertencentes ao acervo, em múltiplos suportes, da fotografia ao desenho, passando pela gravura.

A iniciativa ‘Galerista por um dia’, lançada em 2008, tem como objectivo abrir a galeria a outras sensibilidades dos mais variados quadrantes, da cultura à política, das artes plásticas à filosofia, aos quais é lançado o convite para organizarem uma exposição na galeria com obras do acervo ou inéditas dos artistas que colaboram com a Galeria das Salgadeiras. A escolha das obras e dos artistas a expor, a organização da exposição e a definição do discurso expositivo são da autoria do convidado. Já colaboraram nesta iniciativa personalidades ligadas à televisão, design, música e literatura: Bárbara Guimarães (2008), Bárbara Coutinho (2008), Rodrigo Leão (2009) e Gonçalo M. Tavares (2011).

+ info: Galeria das Salgadeiras

Clique nas imagens para ampliar:

Anúncios