No Fly Zone. Unlimited Mileage

 

@ Museu Coleção Berardo

a partir de 31.01.2013

No Fly Zone. Unlimited Mileage é um projeto concebido e desenhado por Fernando Alvim, Simon Njami e Suzana Sousa. Com os artistas: Binel de Hyrcan, Edson Chagas, Kiluanji Kia Henda, Nástio Mosquito, Paulo Kapela e Yonamine.

O Museu Coleção Berardo apresenta a exposição No Fly Zone dedicada a um conjunto de artistas da nova cena angolana. Ela é não só sinal de uma nova vida que Angola experimenta depois da descolonização e da guerra, como define um posicionamento num quadro problematizadorsobre as heranças culturais e a sua redefinição, as migrações dos conflitos e o seu feedback, o lugar do artista e da sua produção num mundo que continuamente extravasa os limites do seu conhecimento e reconhecimento e se experimenta, agora por estes novos protagonistas. Este aspeto é tanto mais pertinente quanto o presente histórico que vivemos assiste a uma profunda e radical alteração das coordenadas tradicionais dos lugares recorrentes da atenção prestada à produção artística. – Pedro Lapa (Diretor Artístico)

Unlimited Mileage | Mesa redonda | 01.02.2013 

6.ª feira, 18h00 | Piso -1, Auditório | Entrada livre

Nesta mesa redonda será discutida a exposição No Fly Zone e o contexto que justifica a sua realização tendo como plano alargado o artista africano na arte contemporânea e a terceira edição da Trienal de Luanda.

Com:

Suzana Sousa: No Fly Zone. Contexto e questões curatoriais

Simon Njami: Unlimited Mileage. O artista africano na arte contemporânea

Fernando Alvim: III Trienal de Luanda. Contexto e mecanismos

Pedro Lapa: apresentação

Suzana Sousa (Luanda, 1981) é formada em Estudos Artísticos, variante de Arte e Culturas Comparadas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e frequenta o mestrado em Postcolonial Cultures and Global Policy no Goldsmiths’ College, na Universidade de Londres. Trabalha desde 2003 em produção e gestão cultural em Angola. É uma das comissárias da 3.ª Trienal de Luanda, que decorrerá em 2013.

Simon Njami (Lausanne, 1962) é curador, conferencista, professor universitário e crítico de arte. É cofundador e editor chefe do Revue Noire, jornal de arte africana e extraocidental. Foi diretor artístico da bienal de fotografia de Bamako e conselheiro cultural da AFAA, atual Institut Français. Foi membro de diversos júris de arte e fotografia. Em 2007 comissariou, com Fernando Alvim, o primeiro Pavilhão Africano da 52.ª Bienal de Veneza. Foi ainda comissário de diversas exposições de arte contemporânea e fotografia, incluindo Africa Remix (2004-2007) e a primeira Feira de Arte Africana, que decorreu em 2008 em Joanesburgo.

Fernando Alvim (Luanda, 1963) concebeu e produziu em 2003 a 1.ª Trienal de Luanda, Arte, Cultura, História e Política Contemporânea, e em 2010 a 2.ª Trienal de Luanda, Geografias Emocionais – Arte e Afectos. Em 2007 comissariou, com Simon Njami, o primeiro Pavilhão Africano da 52.ª Bienal de Veneza, com a exposição Check List Luanda Pop. Realizou desde 1979 diversas exposições coletivas e individuais, destacando-se em 1993 a exposição individual Circula nius, no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

Anúncios