Pires Vieira: faites vos jeux, rien ne va plus

@ Sala do Veado | até 27.01.2013

‘faites vos jeux, rien ne va plus’

A exposição é constítuida por uma instalação de 30 peças, sendo cada peça, uma pintura/caixa de 60 cm de altura por 120 cm de comprimento. Organizadas como um puzzle, ocupam a totalidade da área de uma das paredes da sala, com 19 metros de comprimento. Cada uma das caixas/pintura, lembrando pedras de dominó (um rectângulo horizontal dividido em duas áreas iguais) apresenta simultâneamente, uma imagem impressa e uma outra pintada, por cima das quais, na caixa de acrilico que as encerra, um polígono e a enumeração dos seus lados, se colocam na obliteração da transparência da sua leitura. A conjugação das obras, que se associam por semelhança ou aproximação, a outras de identica numeração ou imagem, formam um gigantesco tabuleiro ou puzzle, semelhante a um jogo de mesa. 

O título da série que constitui esta instalação, ‘faites vos jeux, rien ne va plus’, palavra de ordem que o ‘croupier’ lança antes do movimento da roleta, é uma evocação e uma metáfora, do jogo de referências à história de arte e alguns autores, que se organizam e convocam no interior do quadro representativo da série agora exposta. Monet, Braque, Picasso ou Pollock, são referências incontornáveis, no pensamento e na representação do espaço, do espaço da pintura e da sua visualização. É neste quadro e num jogo de referências, miméticas, que a pintura se dá a ver, mostrando, escondendo ou revelando, imagens que evocam as matrizes fundadoras da prática pictórica da modernidade. 

Esta exposição conta com o apoio de Cristina Guerra, contemporary art e Appleton Square, Lisboa.

Pires Vieira, nasceu no Porto em 1950. Vive e trabalha no Estoril. Estudou Arquitectura, na Escola de Belas Artes de Paris, no inicio da década de 70. Desde esse período realizou cerca de 40 exposições individuais e 70 colectivas. Está representado nas colecções do Centro de Arte Moderna, da Fundação Calouste Gulbenkian, no Museu do Chiado, na Culturgest/ C.G.D, na Colecção/ Museu Berardo, na Fundação/ Museu de Serralves. Nos últimos anos, colaborou na produção editorial de algumas obras ligadas ao coleccionismo de arte contemporânea e comissariou, em co-autoria, a exposição ‘Outras zonas de contacto’.

Local: Sala do Veado (Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa)

+ info: contactos

Anúncios