Rodrigo Amado: Un Certain Malaise (livro)

Untitled # 20, Moscow, 2008, da série 'Un Certain Malaise' de Rodrigo Amado. Em exposição no Museu da Electricidade, em Lisboa. Cortesia do artista.
Untitled # 20, Moscow, 2008, da série ‘Un Certain Malaise’ de Rodrigo Amado. Em exposição no Museu da Electricidade, em Lisboa. Cortesia do artista. 

21.12.12. – 19.30h @ 49 da ZDB (ver mapa)

  • lançamento do livro “Un Certain Malaise” de Rodrigo Amado

  • concerto (entrada gratuita) Duo Rodrigo Amado (sax) e Gabriel Ferrandini (bateria).

As fotografias de “Un Certain Malaise”, apresentam-nos uma crónica visual composta por uma série de imagens captadas em Moscovo, Varsóvia, Berlim e Copenhaga, inspiradas no universo do poeta Herberto Hélder. O livro é editado pela Documenta com textos inéditos de Gonçalo M. Tavares.

Rodrigo Amado – Algumas Cidades

Embora registando espaços interiores, exteriores ou abrindo-se ainda a elementos fragmentares de uma natureza fragilizada pela mão do homem, embora fixando lugares distantes e distintos na geografia política e cultural da Europa, embora descobrindo corpos diferentes entre si (mas todos em trânsito entre um mundo de sombras e um campo de silêncios), o conjunto de duas dezenas de fotografias de Rodrigo Amado estabelece um percurso urbano que podemos imaginar coeso. Como se as imagens colecionadas nos levassem a percorrer (vendo, ouvindo, agindo) as diferentes cidades que existem numa mesma cidade subjetiva. E há estratégias de fixação imediata (visual) do tema e estratégias de desenvolvimento sequencial (narrativo/musical) desse mesmo tema que Rodrigo Amado explora – poderemos perceber melhor os sentidos destas imagens sabendo que Os Passos em Volta, de Herberto Helder, foi a obra de onde partiu e aonde chegou esta sua viagem interior.Vivendo do adensamento emotivo presente em cada imagem e que se transfere de imagem para imagem, a unidade da série nasce não de qualquer ilusão de unidade dos lugares mas através do subtexto narrativo que nos cabe desvendar. Mas a tensão é imediata e constante, não necessita de se somar imagem a imagem; é um peso que se instala desde a primeira fotografia num território indeciso entre o olhar e a pele. O processo transfere a representação dos lugares incómodos para o interior do nosso corpo. E é aí, onde o olhar pensa, que somos tomados por uma indefinida melancolia. E é aí que nos identificamos com cada recanto destas cidades. E é aí que nos podemos finalmente perguntar: o que perdemos do que nunca foi nosso? Texto de João Pinharanda para a exposição ‘Un Certain Malaise’ de Rodrigo Amado patente na Fundação EDP – Museu da Eletricidade – Cinzeiro 8 até 10 Fevereiro 2013

Livro editado pela Documenta com o apoio da Fundação EDP
Organização STET – livros e fotografias / Zdb

LINK: artigo sobre a exposição

Na imagem: Fotografia: © Rodrigo Amado: da série ‘Un Certain Malaise’. Cortesia do artista.

Fotografia da exposição ‘Un Certain Malaise’: José Soveral para This is Now | Making Art Happen, 2013.

Anúncios