À la recherche du temps perdu

imagem cortesia de Goethe-Institut Portugal.

imagem cortesia de Goethe-Institut Portugal.

>  31.01.2013  |  Goethe-Institut Portugal (Lisboa)

Exposição com obras de vários artistas: Gabriel Barbi, Manuel da Costa Cabral, Lourdes Castro/ Manuel Zimbro, Hubert Fichte, Arne Kaiser, Maria Lusitano-Santos, Leonore Mau, Erich Reischke, Rui Silveira, Leila Tschopp, Heimo Zobernig. Curadoria de Jürgen Bock.

À la recherche du temps perdu é uma exposição sobre a memória, uma referência na busca das origens do Goethe-Institut e, pretensamente, do espírito vigente da época em Portugal, colocados em diálogo com o Aqui e o Agora de um instituto cultural alemão numa capital internacional da União Europeia.

Nesta exposição sobrepõem-se campos tão diversos como a arte, o documentário, a história, a economia ou a etnografia. Serão expostos objetos num espaço não adequado para o efeito, objetos que não podem ser claramente classificados em hierarquias e géneros. Os problemas de classificação assim suscitados pretendem estimular experiências e criar um espaço mental entre os trabalhos em exposição, tendo a exposição sido concebida para estimular o público a criar os seus próprios significados num campo de movimentos seriais de cisões, sobreposições ou variações; num campo de uma “lógica metonímica, do trabalho associativo, de vizinhanças e transferências”.

O ponto de partida da exposição consiste num livro da biblioteca do Goethe-Institut de Lisboa, o romance autobiográfico de Hubert Fichte “Um Amor Feliz”. O livro retrata a estadia de Fichte e da sua parceira e fotógrafa Leonore Mau, que em 1964 passaram vários meses na vila piscatória de Sesimbra, a sul de Lisboa. Nesta obra, o protagonista estabelece uma relação com a obra-prima de Marcel Proust, donde deriva o título da exposição.

link: Goethe-Institut Portugal

Atenção: O Goethe-Institut encontra-se encerrado entre os dias 24.12.2012 e 01.01.2013

Anúncios