João Onofre: Untitled (N’en finit Plus)

13.12.2012  >>  20.01.2013

Sala Polivalente (MNAC-Museu do Chiado)

O olhar percorre o chão de terra e ergue-se para uma adolescente que canta em pé, com os braços ao longo do corpo; vemo-la frágil, numa atenção aplicada ao ato de cantar que é quase desespero.

O olhar afasta-se e a cantora fica isolada no fundo de um vazio de memória tumular. A voz dilui-se na distância e da terra passa-se ao brilho verde da erva, depois à escuridão e ao céu noturno e tudo recomeça, «n’en finit plus».

La nuit n’en finit plus

Quand je ne dors pas
La nuit se traîne
La nuit n’en finit plus
Et j’attends que quelque chose vienne
Mais je ne sais qui je ne sais quoi
J’ai envie d’aimer,
j’ai envie de vivre
Malgré le vide de tout ce temps passé
De tout ce temps gaché
Et de tout ce temps perdu
Dire qu’il y a tant d’êtres sur la terre
Qui comme moi ce soir sont solitaires
C’est triste à mourir
Quel monde insensé
Je voudrais dormir et ne plus penser
J’allume une cigarette
J’ai des idées noires en tête (…)

João Onofre concebeu uma situação cénica – o lugar, a personagem, e as palavras cantadas -, traçou percursos para o olhar – da terra à cantora e, de novo, da terra, agora verde, ao céu – e oferece-nos, em rigorosa e austera composição cinematográfica, uma abandonada visão do indivíduo no mundo, através da ingenuidade angustiante de uma adolescente face à presença solitária e certa de um qualquer sofrimento ou fim. Paulo Henriques, Diretor do Museu do Chiado.

link: outros artigos sobre o artista.

+ informações:
(C) João Onofre, Untitled (N’en finit Plus), Vídeo HD Monocanal, PAL, 16:9, cor, som, 3′ 03” loop. Coleção do artista. © João Onofre. Fotografia This is Now, Making Art Happen, 2012.
Anúncios