Rui Toscano | Porta 33

Até 28.04.2012

@

Porta 33

Rui Toscano, antenna, 2011, HD video, PAL, p&b, som, 2’51”(loop). Dimensões variáveis. Ed. 6. Cortesia Porta 33.

Instalação | Desenho | Vídeo

Para a realização desta exposição foi iniciada uma série de desenhos, em 2006, que se prolongou até 2011. A tinta da china, sobre papel fabriano artístico de 300gr, e com 50x50cm cada, os desenhos foram feitos a partir de fotografias captadas durante o mesmo período em Portugal, Espanha e Estados Unidos. O vídeo antenna (2011) comporta 50 destes desenhos. A banda sonora foi composta segundo um banco de sons gravado e tocado por Rui Gato, num sintetizador analógico Moog Micromoog — o mesmo modelo que os Kraftwerk utilizaram no tema Antenna do álbum Radio-Activity de 1975. A imagem e o som do vídeo foram editados por Pedro Reis. A produção é da Porta 33.

Sem Título, 2010. Tinta da china sobre papel | indian ink on paper, 50x50cm. Cortesia Porta 33.

Rui Toscano (1970) nasceu em Lisboa, cidade onde vive e trabalha. 
Estudou Pintura e Escultura no AR.CO (Centro de Arte e Comunicação) e na FBAUL (Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa). Desde 1993, o seu trabalho tem sido apresentado regularmente em galerias, museus e espaços alternativos. Em 2001 ganhou (ex aequo com João Onofre) o Prémio União Latina.

Das exposições individuais destacam-se 1, Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2002); Sampa Works, Espacio Distrito 4, Madrid (2004); The Exorcist, Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa (2004); Abstrakt, Sintra Museu de Arte Moderna, Sintra (2006); Cluster, Distrito 4, Madrid (2008); The Great Curve, Chiado 8 – Arte Contemporânea, Lisboa (2009); Out of a Singularity, Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa (2010); Universo Parallelo, Ex Elettrofonica, Roma (2011).

Participou em inúmeras exposições colectivas a nível nacional e internacional. Destacam-se: Metaflux, 9.ª International Architecture Exhibition, La Biennale di Venezia, Arsenale, Veneza (2004); Expanded Painting, Prague Biennale 2, Praga (2005); Um Atlas de Acontecimentos, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (2007); Stream, White Box, Nova Iorque (2007); Look Again, Tabakalera, San Sebastian (2009); Da Outra Margem do Atlántico – Alguns Exemplos da Videoarte e da Fotografia Portuguesa, Centro de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro (2010); Noches Eléctricas, LABoral Centro de Arte y Creación Industrial, Gijón (2011).

O seu trabalho está publicado em diversos livros e catálogos, e representado em colecções públicas e privadas, como Fundação de Serralves, Caixa Geral de Depósitos, FLAD (Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento), Colecção António Cachola, Colecção Madeira Corporate Services, Colecção PLMJ, Colecção Portugal Telecom, Fundación ARCO (Espanha), Fundación Coca-Cola (Espanha) ou MEIAC — Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporaneo (Espanha).

Sem Título, 2010. Tinta da china sobre papel | indian ink on paper, 50x50cm. Cortesia Porta 33.

Links:

Porta 33

vídeo – conversa com Rui Toscano e Bruno Marchand

ELECTRIC BODY, 2001. CD marker on paper, 42 x 59 cm. Cortesia Porta 33.

Anúncios