Disorder

 

Disorder é um filme de Maria João Guardão e Susana Mendes Silva que teve como ponto de partida as instalações Square Disorder, em exposição na Appleton Square, em 2008, e Rectangle Disorder, apresentada na Fundação Leal Rios no início deste ano. Susana Mendes Silva criou uma série de performances, para esta última instalação na FLR, em co-autoria com Miguel Pereira: “#1 [preview]”, “#2 [instruction manual]” e “#3 [finissage]”. O ambiente sonoro foi da responsabilidade de Jari Marjamäki.

O filme Disorder foi apresentado no âmbito da última edição do Festival Temps d’Images 2014, tendo sido exibido, no passado dia 14, no Cinema Ideal, em Lisboa.

Disorder | Sinopse

“Duas amigas jantam num apartamento, a conversa prolonga-se até à sobremesa. Enquanto falam, a mulher que vive no apartamento enrola os seus cabelos, distraída. De vez em quando, pega e arranca um cabelo. Repete o gesto uma e outra vez até se levantar da mesa. Os fios mutilados vão parar a um cinzeiro. A convidada sente uma estranha combinação de repulsa e fascínio pelo comportamento da amiga; pelo mistério que representam as pessoas que se fazem mal a si próprias de forma incontrolável”, escreve Pedro De Llano sobre a origem das instalações “Square Disorder” e “Rectangle Disorder” da artista Susana Mendes Silva. Ambas as obras estão na fronteira do visível e foram o ponto de partida para a artista e o coreógrafo Miguel Pereira criarem uma série de três performances que permitiam ao público explorar a peça de forma sequencial.

Neste filme, a realizadora Maria João Guardão e Susana Mendes Silva entram no estranho território desta teia gigante, mas quase invisível, que interroga o conceito de espaço enquanto white cube, como uma descoberta experiencial, ou enquanto forma de nos controlar. A partir dela questionam dualidades aparentemente irresolúveis: as linhas ténues entre distúrbio e afecto, ordem geométrica e perturbação, racionalidade e pensamento mágico, disciplina e erotismo, vazio e cheio, orgânico e artificial.

+ info:

Susana Mendes Silva

Filmes sobre Arte

Performances: Susana Mendes Silva e Miguel Pereira | Som: Jari Marjamäki | Imagem: Maria João Guardão | Still images: Susana Mendes Silva | Som: Steven Bird | Textos: Agnes Martin, Pedro de Llano, Susana Mendes Silva | Edição: Maria João Guardão e Susana Mendes Silva | Som Pós Produção: Steven Bird | Produção: Desmedida filmes 2014 e Susana Mendes Silva


artigos relacionados:

A 2ª edição da revista Contemporânea incluiu uma entrevista a Susana Mendes Silva a a propósito do projecto “Rectangle Disorder”. Para ler aqui.

Maria João Guardão (Moçambique, 1965) é realizadora e jornalista. Licenciou-se em Comunicação Social (FCSH/UNL) e fez o curso de Realização de Documentários dos Ateliers Varan (AV, Paris). Fundou a produtora DESMEDIDA filmes (2010). Realizou, entre outros, a série de retratos filmados Cinematógrafo Alkantara, a série documental “Eu Sou África” e a curta-metragem Les États d’Anne (Ateliers Varan). Como jornalista publicou reportagens, entrevistas e críticas em vários jornais e revistas. Em televisão integrou o canal Sic Notícias, onde assinou inúmeras reportagens e foi autora de Laboratório, série documental sobre criadores portugueses (2004-05), entre outros programas. Actualmente, está em fase de produção do documentário Cozinha Popular da Mouraria.

Susana Mendes Silva (Lisboa, 1972) é artista plástica e performer. O seu trabalho integra uma componente de investigação, e de prática arquivística, que se traduz em obras cujas referências históricas e políticas se materializam em exposições, acções e performances através dos mais diversos meios de produção. O seu universo contempla e reconfigura contextos sociais diversos sem perder de vista a singularidade do indivíduo. A sua intimidade psicológica ou a sua voz são inúmeras vezes veículos de difusão e recepção de mensagens poéticas e políticas que convocam e reactivam a memória dos participantes e espectadores. Susana estudou Escultura na FBAUL e frequentou o programa de doutoramento em Artes Visuais (Studio Based Research) no Goldsmiths College, Londres, tendo sido bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. É Doutorada em Arte Contemporânea, pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, com a tese, orientada pelo Prof. Doutor António Olaio, baseada na sua prática performativa – A performance enquanto encontro íntimo. É, também, Professora Auxiliar na Universidade de Évora, leccionando no curso de Arquitectura Paisagista desde 1999.


(C) imagens cortesia de Desmedida Filmes, Maria João Guardão e Susana Mendes Silva.

Anúncios