Novo ciclo de exposições @ Centro Cultural Vila Flor

CIAJG e Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

> 13.04.2014

Novas exposições no Centro Cultural Vila Flor e no Centro Internacional das Artes José de Guimarães durante o 1º trimestre de 2014.

A exposição ‘Coração e Cinzas’ – patente no Palácio Vila Flor – reúne um número expressivo de trabalhos de Arlindo Silva. As pinturas deste artista são constituídas por pessoas do seu círculo de relações, captadas em instantâneos algo inesperados, “anti-retratos” que negam a tradicional pose das figuras retratadas, perpassando uma atitude desafetada e discreta, que é também transversal ao seu percurso artístico e humano.

Sobre uma superfície plana – a tela – o pintor combina uma matéria concreta – as tintas, e assim regista factos de seu universo pessoal, reiniciando uma nova proposta de inteligibilidade no campo sensível da materialidade do quadro.

No piso 1 do edifício, os visitantes poderão rever alguns dos ex-libris das coleções de José de Guimarães (obras de arte tribal africana, arte pré-colombiana e arte chinesa antiga), mas também descobrir neste novo ciclo expositivo novas peças que integram as constelações de objetos e imagens organizadas a partir de tipologias como arcaico/ contemporâneo, acontecimento/ história, estranho/ familiar, erudito/ popular, material/ imaterial.

No piso 0 do CIAJG (salas 09, 10 e 11) encontra-se a primeira exposição individual de Jarosław Fliciński (1965, Gdansk, Polónia) em Portugal. Trata-se de uma intervenção de grande escala de um dos mais iminentes artistas polacos contemporâneos, incorporando paredes, pinturas, desenhos e objetos, uma mostra exemplar do trabalho que o artista tem vindo a desenvolver em relevantes instituições do contexto internacional da arte contemporânea: um projeto de expansão do campo operativo da linguagem pictórica no qual se cruzam uma aguda sensibilidade à arquitetura com uma proficiente prática de pintura sobre parede que vai para além do quadro e se alarga à escala do espaço arquitetónico.

+ info:

Arlindo Silva

Centro Cultural Vila Flor

Jarosław Fliciński

piso -1 (salas 12 e 13) dará a conhecer uma exposição que revela um segmento do trabalho de José de Guimarães pouco conhecido e de grande relevância para o entendimento da obra do artista, que cobre um arco temporal de mais de quarenta anos: um conjunto muito diversificado de trabalhos que dão corpo a uma incessante produção de imagens realizadas por transferência. Seja em torno de métodos tradicionais da gravura, seja de práticas menos convencionais, como o stencil, José de Guimarães desenvolve desde o princípio dos anos 60 até aos dias de hoje uma incansável pesquisa que concilia experimentação material, rigor formal e um vocabulário de formas que permanentemente convoca a mestiçagem como conceito central da sua obra. Abordando a prática da gravura e de processos derivados, esta exposição, de cariz antológico, mostra que essa prática continuada em vários momentos do percurso do artista se revelou estruturante e decisiva, quer enquanto processo de conhecimento, quer enquanto campo operativo de experimentação.

(C) imagens e texto: cortesia Centro Cultural Vila Flor (Guimarães).

Anúncios