Rumor (João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira)

..
> 06.12.2013
Rumor consiste num projecto que reúne 160 registos fotográficos de uma viagem pessoal e artística entre o real e o virtual, desde São Miguel nos Açores à A Pequena Galeria, em Lisboa. A exposição materializa uma coleção de 29 rumores, lançados, viralizados e até censurados nas redes sociais, num mural catalográfico que intersecta imagens de paisagens idílicas e snapshots íntimos. Um desafio à fruição voyerista orientada por tempos, medias e suportes, desde o actual fenómeno do Instagram à icónica Polaroide.
Rumor nasceu em Julho deste ano, em São Miguel nos Açores, para onde a dupla João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira viajou a convite do Walk&Talk – Festival Internacional de Arte Pública. Mais do que a descoberta de um novo itinerário, a deslocação a São Miguel marcou um reencontro de amigos e o regresso ao contexto de criação de “English As She Is Spoke”, o filme e a exposição que os artistas apresentaram, em 2010, na Galeria Fonseca Macedo e no Cine Clube de Ponta Delgada. Estas premissas, a par com a reflexão em torno do conceito de “arte pública”, marcaram a participação dos artistas no evento, concretizada através de uma série de incursões pela ilha que foram sendo registadas, de forma mais ou menos espontânea com recurso à aplicação Instagram, publicadas e partilhadas com amigos e seguidores nas redes socias, como se de um diário de viagem se tratasse.Desde locais que são autênticos postais turísticos dos Açores, como as Furnas, o ilhéu de Vila Franca e as Sete Cidades, a destinos secretos, alguns deles desconhecidos até dos próprios locais, João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira criaram um novo mapa imagético de São Miguel.
O registo visual e sistematizado da sua viagem resultou numa série de 29 episódios, tornados “rumores” em função do efeito viral da partilha de um álbum alargado, constituído por 160 fotografias e um “Rumor Escrito” pelo arquitecto e paisagista Duarte Santo, onde olhares sobre a paisagem se intersectam com imagens íntimas, uma destas reportada como “conteúdo impróprio” e excluída da rede Facebook.

A exposição Rumor assinala o culminar deste processo de criação virtual, reverte-o e fixa-o num mural catalográfico, onde a predilecção pelo formato Polaroide para a reprodução de imagens “instagramizadas”, destaca o carácter espontâneo, viral e voyeurista da obra. “A Polaroide inspirou a criação do Instagram e quando fomos convidados a expor o Rumor, este formato pareceu-nos óbvio, numa lógica de contraversão revivalista e até irónica da realidade, que hoje é dominada pelo fenómeno das redes sociais”, explica João Pedro Vale. “Criámos um mural que funciona como um “catálogo de rumores”. Desafia as pessoas a seguirem o nosso itinerário de viagem dentro da galeria como se estivessem a espreitar os álbuns de fotografia dos amigos no Facebook ou no Instagram”, conclui Nuno Alexandre Ferreira.O espaço de exposição será dominado por um mural onde poderão ser contemplados os 29 rumores que compõem a obra, uma peça única com as dimensões de 2,80 por 1,40 metros. O carácter reprodutivo e viral de Rumor será sublinhado ao permitir que os visitantes adquiram, mediante encomenda, séries de rumores individuais ou imagens avulsas, eleitas entre as 160 expostas, sendo que a valorização das peças será proporcional ao seu crescente teor de intimidade, de acordo com as preferências mais ou menos voyeuristas de cada comprador.
João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira apresentam projectos em comum desde 2008, com recurso a meios como a escultura, a fotografia ou a instalação para a produção de exposições, performances e longas-metragens experimentais. Entre os seus projectos, destacam-se em 2009, o filme “Hero, Captain and Stranger”, exibido no Cine Paraíso, Museu Colecção Berardo em Lisboa e SVA Theater em Nova Iorque. O projecto “English As She Is Spoke”, um filme e uma exposição apresentados, em 2010, no Cine Clube de Ponta Delgada, na Galeria Fonseca Macedo, no Cinema Nimas para o Festival Temps d’Image e na Fundação PLMJ. Em 2012, na sequência de uma residência artística realizada por ambos em Provincetown, Massachusets (EUA), começaram a desenvolver o projecto “P-Town”, concretizado numa exposição na NurtureArt em Nova Iorque e na Galeria Boavista em Lisboa, e na publicação de um queerzine que cruza as temáticas LGBT e a ideia de portugalidade. Em 2012, apresentaram o filme “O Rei dos Gnomos” no Paço dos Duques no âmbito de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, na Galeria Leme no Brasil e no Teatro do Bairro durante o festival QueerLisboa. Já em 2013, apresentaram “Werther Effect”, com uma exposição e exibições do filme no Carpe Diem – Arte e Pesquisa e no Lisbon & Estoril Film Festival.
+ info:
(C) imagens e texto: Cortesia A Pequena Galeria, Lisboa 2013.
Anúncios