A Entrevista Perpétua

AJ

> 31.07.2013
@ Edifício AXA (Porto)
Colecção de Serralves: Colecção Ana Jotta e Convidados
Curadoria: Ricardo Nicolau e Filipa Loureiro
 
Artistas: 
Pedro Barateiro, Isabel Carvalho, Pedro Casqueiro, Patricia Dauder, Ana Jotta, David Lamelas, João Marçal, Dennis Oppenheim, Musa paradisiaca (Miguel Ferrão e Eduardo Guerra), Mariana Caló & Francisco Queimadela, Nuno Ramalho, Ângelo de Sousa.
Ana Jotta (Lisboa, 1946), que teve uma grande exposição retrospetiva na Casa de Serralves em 2005, é um dos nomes mais representados na Coleção de Serralves. Nas quatro últimas décadas, a artista explorou praticamente todos os meios artísticos – da pintura à escultura, passando pelo desenho, pela instalação e pelo recurso a técnicas associadas às “artes menores”, como os bordados, a costura e a cerâmica -, num constante desafio a quaisquer noções de autoria. Jota é uma verdadeira artista-colecionadora, apropriando-se constantemente de objetos, de iconografia, de frases, de títulos alheios. A singularidade do seu trabalho passa pela completa ausência de estilo – ao ponto de parecer, em cada mostra individual que apresenta, estarmos perante obras de vários artistas. Por isso a presente exposição, ao promover um diálogo entre as suas peças que integram a Coleção de Serralves e obras de outros artistas nela representados (e ainda alguns artistas convidados a apresentar obras inéditas), pode ser vista enquanto um encontro de coleções: Coleção de Serralves e “Coleção Ana Jotta”. Reúnem-se, além de pinturas, esculturas e bordados de Ana Jotta, obras de artistas que já colaboraram com a artista – casos de Pedro Barateiro, Isabel Carvalho e Pedro Casqueiro – e pinturas, filmes e instalações sonoras de autores que sublinham algumas das principais caraterísticas da sua prática: a obsessiva repetição, o premeditado e muito sofisticado amadorismo, a relação com a decoração e com o teatro (algumas das suas peças parecem-se com adereços, ou copiam padrões) e a utilização do som, particularmente da voz.   
 
Anúncios