Love Triangle

Noé Sendas, Crystal Girl N69 © Noé Sendas.

Noé Sendas, Crystal Girl N69, 2012 © Noé Sendas.

20.04 – 10.05 (2013)

A Invaliden1 Galerie apresenta a exposição ‘Love Triangle’, em Estocolmo, numa colaboração com o Instituto Cervantes, o Goethe Institut e a Embaixada de Espanha. A exposição está patente no espaço comum dos referidos institutos até ao dia 10 de Maio.

Artistas: Sergio Belinchón, Rui Calçada Bastos, Stef Heidhues, Franz Höfner & Harry Sachs, Antonio Mesones, Hajnal Németh, Noé Sendas, Annika von Hausswolff, Santiago Ydañez, Johan Zetterquist.

Curadoria: Stefanie Hessler

O título da exposição ‘Love Triangle’ (Triângulo Amoroso) refere-se a uma relação romântica que envolve três pessoas, mas, também, pode sugerir uma ligação platónica. Geralmente, os triângulos amorosos baseiam-se numa atracção recípocra, mas implicam, também, conflito, ciúme, a necessidade de tomar decisões e processos de aprendizagem em conjunto. As relações triangulares mais conhecidas, no mundo da arte, são as que aconteceram entre o surrealista Max Ernst e Paul Éluard e a sua esposa Gala Éluard (mais tarde Gala Dalí), entre Friedrich Nietzsche, Paul Rée e Lou Andreas-Salomé, bem como várias das que ocorreram no conhecido Grupo Bloomsbury.

A exposição “Love Triangle” é sobre a relação entre três países – a Alemanha, a Suécia e a Espanha, por um lado, e o trabalho que os artistas que participam nesta exposição, realizam sobre a memória, quer a nível pessoal, cultural ou histórico/ político. Todos partilham uma experiência em comum: o facto de terem exposto na galeria Invaliden1, em Berlim. A galeria foi fundada, em 2005, com o objectivo de criar uma plataforma de apresentação do trabalho dos seus fundadores e de outros artistas residentes em Berlim. 

Os fundadores são provenientes da Península Ibérica (Espanha: Antonio Mesones, Santiago Ydañez, Sergio Belinchón – Portugal: Noé Sendas e Rui Calçada Bastos), mas viveram durante 15 anos em Berlim. Identidade e memória são temas recorrentes no trabalho que desenvolvem enquanto artistas, bem como do ponto de vista curatorial. Através de exposições com artistas de diferentes origens, que vivem e trabalham em Berlim, a galeria Invaliden1 aproveitou a dinâmica cosmopolita da cidade. Desde o início, a galeria tem mantido uma relação especial com a Suécia, tendo colaborado com vários artistas suecos.

Com ‘Love Triangle’ o círculo fecha: os fundadores da galeria Invaliden1 e alguns dos artistas que aí apresentaram exposições, mostram as suas obras, em conjunto, no espaço comum do Goethe-Institut e do Instituto Cervantes em Estocolmo.

Clique nas imagens para ampliar:

Love Triangle

April 20th – May 10th 2013

Curated by Stefanie Hessler

Artists: Sergio Belinchón, Rui Calçada Bastos, Stef Heidhues, Franz Höfner & Harry Sachs, Antonio Mesones, Hajnal Németh, Noé Sendas, Annika von Hausswolff, Santiago Ydañez, Johan Zetterquist

The title of the exhibition “Love Triangle” describes a triangular constellation that mostly refers to a romantic relationship between three lovers, but can also be a platonic partnership. Usually, love triangles are based on mutual attraction; at the same time they also involve conflicts, jealousy, the need to make decisions and mutual learning processes. The perhaps best-known triangular relationships in art are the ones between the Surrealist Max Ernst, Paul Éluard and his wife Gala Éluard (later Gala Dalí), the symbiotic community of Friedrich Nietzsche, Paul Rée and Lou Andreas-Salomé as well as all kinds of different constellations within the Bloomsbury Group.

The exhibition “Love Triangle” deals with the relationship between Germany, Sweden and Spain on the one hand, and with the exhibiting artists’ investigations into memories on the other hand – be it on a personal, cultural or historical-political level-. Moreover, the artistshave one thing in common: All of them have exhibited at the artist-run space Invaliden1 in Berlin. The gallery was founded in 2005 with the goal to create a platform for presenting the work of its founders and other Berlin-based artists. 

All founders come from the Iberian Peninsula. However, they have lived in Berlin for 15 years. Identity and memory are almost naturally issues with which they deal, both in their own work, as well as from a curatorial point of view. Through exhibitions with artists from different backgrounds who live and work in Berlin, Invaliden1 has captured the importance of the city for the international art world. From the outset, the gallery has maintained a special relationship with Sweden and exhibited several Swedish artists.

With Love Triangle, the circle closes: The founders of Invaliden1, who have built up their existence in Berlin around the gallery, and artists who have exhibited in it, show works in the common space of the Goethe-Institut and the Instituto Cervantes in Stockholm.

Links:

Invaliden1 Galerie (Berlim, Alemanha)

Instituto Cervantes (Estocolmo, Suécia)

Goethe Institut (Estocolmo, Suécia)

Anúncios