Conversas | Porta 33

The very dirt out there carries its own history and provides us with a sense of place.” (1)

Apresento uma serie de imagens que mostram varias peças feitas ao longo dos últimos anos em vários locais. A ideia é fazer uma primeira apresentação do trabalho concentrando-me nos aspectos metodológicos. (…) 

A paisagem no sentido cultural é o que me interessa, não a paisagem “selvagem”. Novos desafios se apresentam com a leitura da vastidão da paisagem americana.’ – Gabriela Albergaria (Março de 2013). 

(+ info Gabriela Albergaria)

Nuno Henrique © Nuno Henrique. Cortesia de Porta 33.

Nuno Henrique © Nuno Henrique. Cortesia de Porta 33.

Nuno Henrique

O trabalho que tenho desenvolvido, entre o Desenho e a Escultura, tem tido como ponto de partida narrativas que têm como objecto espécies botânicas. (…)

Em parte o conteúdo narrativo do meu trabalho deve-se à experiência efectiva com a floresta indígena dos arquipélagos da Madeira, de onde sou natural, e do Porto Santo. Floresta que só nos locais mais inacessíveis sobreviveu ao povoamento das ilhas pelos portugueses. Ocupando hoje apenas 15% da totalidade do território, esta floresta tornou-se para mim numa experiência da sua ausência.‘ – Nuno Henrique

(+ info Nuno Henrique)

Delfim Sardo nasceu em Aveiro em 1962. É curador, docente universitário e ensaísta. É Professor do Colégio das Artes e da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Presidente da Associação Internacional de Críticos de Arte, Portugal. Foi o Comissário Geral da Trienal de Arquitectura de Lisboa 2010. Desde 1990 que se dedica à curadoria de arte contemporânea, bem como à ensaística sobre arte. Entre 2003 e 2006 foi Director do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Foi fundador e director da revista Pangloss. Entre 1997 e 2003 foi consultor da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1999 foi o Comissário da Representação Portuguesa à 48ª Bienal de Veneza. Em 2010 foi co-Comissário da Representação Portuguesa à Bienal de Veneza de Arquitectura. No campo das publicações destacam-se os volumes Julião Sarmento, Catalogue Raisonée, Edições Numeradas, Vol.I (MEIAC, 2007), Luxury Bound (Electa, Milão, 1999), Jorge Molder (Caminho, Lisboa, 2005), Helena Almeida, Pés no Chão, Cabeça no Céu (Bial, 2004), Pintura Redux (Fundação de Serralves, Público, 2006), Abrir a Caixa (Caixa Geral de Depósitos, 2009) e A Visão em Apneia (Babel, 2011). Colabora, regularmente, como ensaísta para publicações sobre arte e arquitectura.

(+ info: Delfim Sardo)

(1) Florence Krall – on the book “The Meaning of Gardens, Idea, Place and Action – edited by Mark Francis and Randolph T. Hester, Jr.

Outros eventos relacionados Abril | Maio, 2013:

Conversa com Pedro Costa (Porta 33)

(C) imagens: cortesia de Porta 33, 2013.

imagem de destaque, da página anterior: © Gabriela Albergaria.

Anúncios