Fuga Sem Fim de Victor Hugo Pontes

FUGA SEM FIM de Victor Hugo Pontes a partir de uma ideia de João Paulo Serafim para a Companhia Instável. Fotografia © Susana Neves

FUGA SEM FIM de Victor Hugo Pontes para a Companhia Instável. Fotografia © Susana Neves

de Victor Hugo Pontes

a partir de uma ideia de João Paulo Serafim

para a Companhia Instável

@ Culturgest

JANEIRO: 11 (SEXTA) e 12 (SÁBADO)

FUGA SEM FIM de Victor Hugo Pontes a partir de uma ideia de João Paulo Serafim para a Companhia Instável. Fotografia © Susana Neves

FUGA SEM FIM de Victor Hugo Pontes para a Companhia Instável. Fotografia © Susana Neves

Em 2007, Victor Hugo Pontes e João Paulo Serafim encontraram-se pela primeira vez para a criação do espetáculo Ensaio. Desde então, ambos os criadores mantiveram a vontade de trabalhar juntos novamente. Para tal, elegeram um tema transversal às áreas de trabalho de cada um: a ideia de “fuga”. 

O movimento (e a dança) trabalha sobre a alternância de momentos de encontro e de fuga. As imagens (e a fotografia) trabalham sobre o tópico do ponto de fuga. O mote para a criação de Fuga Sem Fim foi a perseguição que acontece no filme Blackmail, de Alfred Hitchcock. Contudo, o facto de o ponto de partida ter sido uma criação cinematográfica não significa que Fuga Sem Fim seja um trabalho sobre cinema: aquilo que aqui importa é a ideia de fuga, por um lado, enquanto ação/movimento em si, enquanto percurso coreográfico; por outro lado, a ideia de fuga enquanto procura das origens do trabalho criativo, com vista a um entendimento mais nítido das razões pelas quais o espetáculo assume esta forma. 

A fuga é um impulso recorrente no ser humano, com reminiscências ancestrais e projeções futuras – o homem foge desde sempre, quer seja de um território, de uma circunstância histórica, das outras pessoas, da guerra, do compromisso, da miséria, do amor, de si próprio. Fuga Sem Fim centra-se na reflexão sobre o ato criativo, quer enquanto “artefacto”, “construção deliberada” e “ficção”, “simulacro de realidade”, quer enquanto procura de uma saída, de várias respostas, da ideia de fuga como exemplo de afirmação – do seu contrário.

 

Anúncios