id: João Henriques

João Henriques, id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

até 23 Dezembro @ Centro Cultural Emmerico Nunes (Sines)

Exposição de fotografia de João Henriques (n. 1967, Tomar)

O questionamento sobre a identidade pode assentar sobre vertentes tão diversas, que acabam por fazer da exegese identitária um território de fronteiras algo indefinidas. A um nível mais pessoal, questões ligadas à família, educação, religião, raça, sexo, vocação, entre outras, podem constituir os pilares da interrogação filosófica e existencial acerca da identidade. Sendo inegável a reciprocidade da influência entre indivíduo e colectivo, tende a ser legítima a asserção de que a identidade pessoal e do lugar (país, região) estão intimamente ligadas. Se por um lado o título deste trabalho “Id” remete para noções de identidade, questionadas e construídas a partir de tão diferentes domínios, por outro lado, o “Id” é também um termo da Psicologia, cunhado pelo pai da disciplina – Sigmund Freud – para referir um campo da consciência, o qual parece funcionar através da produção de imagens, não sendo dimensionado nem pela realidade nem pelo tempo, reelaborando o passado e o futuro numa dimensão única, vivida como o presente. É nesse território, denominado “Id”, que parece residir toda a semente de possibilidade do indivíduo, contudo, uma vez que o seu conteúdo tende a permanecer inconsciente, as deambulações sobre o mesmo tendem a assumir um carácter especulativo, de contornos metafísicos, místicos, quiçá espirituais, as mais das vezes expressas através de conteúdos de elevado simbolismo.

João Henriques, da exposição id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

Esta série fotográfica é inteiramente construída na cidade de Tomar, lugar de marcada importância na história de Portugal, amplamente conhecido pela sua ligação aos Templários e à Ordem de Cristo, também o local de nascimento do autor. De que forma é que a mística e esotérica herança templária contribuiu para moldar a identidade de um território, de um lugar? De que modos se cruzam essas e outras linhas para a confluência daquilo que se pode considerar a identidade pessoal? Qual é a importância do tempo passado, ou até antes da própria existência, para a configuração do tempo presente e futuro? Interligando biografia e lugar, este trabalho fotográfico ampara questões sobre as origens e o que pode estar detrás ou antes delas, conectando passado, identidade e lugar.

João Henriques, da exposição id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

João Henriques, da exposição id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

João Henriques, da exposição id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

João Henriques, da exposição id, no Centro Culturaç Emmerico Nunes. Imagem cortesia de © João Henriques.

link: João Henriques

Anúncios