Daido Moriyama, fracture

@ Pavilhão de Arte Japonesa

LACMA – The Los Angeles County Museum of Art

até 31 Julho, 2012

Daido Moriyama, Kagero (Mayfly), 1972, gelatin silver print, 13 x15 3/4 in, courtesy of Gloria Katz and Willard Huyck. © Daido Moriyama

“Lançar as suas preocupações ao vento.”

O fotógrafo Daido Moriyama (n. 1938, Japão) torna-se conhecido, em meados dos anos 1960, pelas representações que fazia da vida urbana ou, melhor, da paisagem cultural japonesa do pós-guerra. A sua geração foi apelidada de taiyozoku ou tribo do sol, um termo utilizado para designar a sub-cultura juvenil, que surgiu na década de 1950. A qual era vista pelas gerações mais conservadoras como crua e violenta. Inundados com novas imagens do ocidente romperam com o passado e rejeitaram os valores tradicionais. Influenciados pela nouvelle vague os taiyozoku foram retratados como promíscuos e niilistas. 

Daido Moriyama, Beauty Parlor, Tokyo, 1975, Gelatin silver print, 7 x 10 5/8 in. Ralph M. Parsons Fund. © Daido Moriyama.

“Photographs are fossils of light and memory. Photographs are the history of memory.”

A abordagem de Moriyama era, para a época, inovadora, não só pelas técnicas que utilizava mas, principalmente, pelo carácter pessoal e íntimo que imprimia. Nesta exposição – Fracture (Fractura) – Daido Moriyama apresenta uma selecção de fotografias a preto e branco e trabalhos recentes a cores. Em destaque alguns dos seus livros de fotografia (Moriyama já publicou mais de 40) que documentam as experiências do artista com os vários meios de reprodução. A exploração intuitiva dos mistérios urbanos, da memória e de várias técnicas fotográficas fazem dele um dos mais respeitados fotógrafos japoneses.

Daido Moriyama, Tokyo, 1981, 10 7/8 x 16 1/4 in. Courtesy of Daniel Greenberg and Susan Steinhauser © Daido Moriyama

Nascido em Ikeda, Osaka, Daido Moriyama formou-se em design gráfico, antes de começar a fotografar com Takeji Iwaniya. Muda-se para Tóquio, em 1961, onde é assistente do fotógrafo Eikoh Hosoe durante três anos. Trava conhecimento e é seduzido pelas críticas sociais impressas no trabalho do fotógrafo Shōmei Tōmatsu. Inspira-se, também, nas fotografias de William Klein sobre Nova Iorque, em Andy Warhol e na escrita de Jack Kerouac e Yukio Mishima.

Daido Moriyama, Untitled, printed 2011. © Daido Moriyama.

Daido Moriyama, untitled, 1975, From the series Goshogawara, Gelatin silver print, 10 7/8 x 16 1/4 in. Ralph M. Parsons Fund. © Daido Moriyama

Anúncios