Mauro Pinto: BesPhoto 2012

 Mauro Pinto é o vencedor da 8ª edição do BES Photo 2012.

“Dá Licença? … E eu, automaticamente, deixo que eles entrem em mim.” 

O fotógrafo Moçambicano viu o seu trabalho “Dá Licença” realizado entre Novembro de 2011 e Janeiro de 2012, reconhecido. 40.000 € é o valor do prémio. “Dá Licença” mostra o interior das casas do bairro da Mafalala, em Maputo.

“Estas casas de madeira e zinco, de que ouvia falar quando era pequeno e adolescente vieram-me à memória. Aqui onde se encontram várias nacionalidades, fui olhando e comecei ‘a bater as chapas’… ‘Dá licença…’ Uns vêm e abrem, deixam-me entrar, e eu automaticamente deixo que eles entrem em mim. Assim nasce o projeto Dá licença (2011), com uma carga emocional e estética presente. (…) Mauro Pinto

Segundo o júri do prémio, esta decisão “resulta da forma como esta série revela a entrega do artista à realidade das pessoas que habitam os espaços aqui retratados, ao mesmo tempo que transmite uma perspectiva histórica e sociológica da realidade contemporânea moçambicana através deste bairro da capital. É de destacar a forma como o artista utiliza a luz dando vida aos elementos presentes. Da cor aos objetos, é de realçar a capacidade com que o seu trabalho nos transporta para uma realidade habitada. Sem artifícios na sua essência, a consistência da apresentação do trabalho de Mauro Pinto foi um factor decisivo na escolha do vencedor. Igualmente relevante é o facto de terem sido tiradas cerca de mil fotografias, entre as quais, o artista seleccionou o conjunto de doze que deu origem ao projeto expositivo apresentado.”

Mauro Pinto (1974) nasceu em Maputo, Moçambique, onde vive e trabalha. Dos primeiros contactos com o fotógrafo português Alexandre Júnior, durante a sua adolescência, surgem as primeiras experiências no domínio da fotografia. No final dos anos  1990 fez um curso de fotografia na Monitor Internacional School (Joanesburgo), e, pela mesma altura, um estágio com o fotógrafo José Machado, assumindo desde logo como profissão a actividade fotográfica. Em 2002 integra pela primeira vez a PhotoFesta – Festival Internacional de Fotografia (Maputo), voltando a participar na edição de 2006. Em 2003 participa nos Rencontres de Bamako, Biennale Africaine de la Photographie e na coletiva Saudade de L’espoir (Ilha da Reunião).

Em 2004 apresenta o seu trabalho na 35.ª edição de Les Rencontres d’Arles e nas III Jornadas África-Brasil (Brasília), e, no ano seguinte, no Fórum Social Mundial (Porto Alegre). Em 2006 integra a exposição Réplica e rebeldia, apresentada em Maputo, Luanda, Praia, Salvador da Bahia, Brasília e Rio de Janeiro. Participa ainda na exposição Vers Matola no Espace 1789 Saint-Ouen, em Paris. Em 2008 integra a primeira edição da bienal Picha! Les Rencontres de l’image de Lubumbashi. No ano seguinte, integra a exposição Maputo, a Tale of One City, que inaugura no Oslo Museum e percorre diferentes cidades da Noruega, e a 2.ª Bienal de Arte Contemporânea de Salónica. Já em 2010, participa mna coletiva Ocupações temporárias 20.10 (Maputo), no Festival mondial des arts nègres (Dakar), e na 2.ª edição de El Ojo Salvaje – Segundo Mes de la Fotografia en Paraguay, sendo o primeiro artista africano a integrar aquela mostra. A sua primeira exposição individual realizou-se em 2002 na Fortaleza de Maputo, destacando-se, as seguintes: Portos de convergência (Centro Cultural Franco-Moçambicano, Maputo, 2005), Lubumbashi interiores – exteriores (Lubumbashi, 2007), Uma questão de Estado (Rua D’Arte, Maputo, 2010); e, em Portugal, Maputo – Luanda – Lubumbashi (Influx Contemporary Art, Lisboa, 2011).

Links:

Mauro Pinto, bio

Os restantes seleccionados para o prémio Bes Photo 2012

Os vencedores das outras edições Bes Photo

 

(C) imagens, cortesia: BesPhoto.

 

Anúncios