Istanbul Modern

Nil Yalter, The Headless Woman or the Belly Dance (1974).

@

Museum Boijmans Van Beuningen

(Roterdão, Holanda)

até 10.06.12

Por ocasião dos 400 anos de relações diplomáticas e comerciais entre a Holanda e a Turquia, o Museu Boijmans Van Beuningen e o Museu de Arte Moderna de Istambul iniciaram um intercâmbio que produziu duas exposições: ‘Istanbul Modern’ (inaugurada, em Roterdão, a 10.03. e que estará patente até 10.06.12) e  ‘La La La Human Steps’, em Istambul, (de 16.02. a 06.05.12).

Taner Ceylan – Alp on a White Background, 2006.

Istanbul Modern – o curador Levent Çalıkoğlu seleccionou catorze artistas, de diversos períodos, da década de setenta, do século XX, até ao presente. Alguns dos trabalhos, em exposição, são da responsabilidade de artistas como: Inci Eviner, Taner Ceylan e Sarkis Zabunyan, entre outros.

Istambul é um hotspot cultural que graças à sua localização única, entre a Europa e a Ásia, incorpora diferentes influências. O mesmo acontece nesta mostra que seleccionou obras de referência europeia e árabe, as quais incluem pintura, vídeo e instalação. Temas como a cultura visual, a imaginação, a identidade e as recentes tensões políticas são os mais revisitados.

Hale Tenger, Beirut (2005-2007).

Por sua vez a exposição La La La Human Steps, curadoria de Sjarel Ex, centra-se nas relações interpessoais e na capacidade de resiliência do ser humano. Divide-se em três grupos que exploram essas temáticas a nível pessoal, público e histórico. Pinturas e gravuras, de mestres antigos, formam a base histórica da exposição. Outras obras de referência reflectem sobre temas como a curiosidade, ansiedade, medo, violência e pecado. Estas obras foram agrupadas sob o título Encounters in History.  Personal Encounters, explora a temática das emoções humanas como o medo, a solidão, a avareza, a ira e a luxúria e de que forma estas, positivas ou negativas, são  indispensáveis à nossa formação, enquanto seres humanos. Public Encounters – observa a forma como os indivíduos interagem na esfera pública, onde encontros e desencontros, confrontos e conflitos fazem parte da vida em sociedade.

Aernout Mik, 1961. Refraction, 2004, 8’ 54”. Part of the collection of Museum Boijmans Van Beuningen

A exposição pediu emprestado o título à companhia de dança La La La Human Steps (Canadá)que, também, participa na exposição com  o espectáculo, Amelia, que pode ser visto como uma metáfora para uma atitude mais optimista e corajosa perante a vida.

Artistas participantes: Vito Acconci, Bas Jan Ader, Yael Bartana, Sebald Beham, Erhard Schön, Niklas Stoer, John Bock, David Claerbout, Pieter Coecke van Aelst, Peter Feiler, Yang Fudong, Cyprien Gaillard, Šejla Kamerić, Paul Kooiker, Inez van Lamsweerde, Erik van Lieshout, Aernout Mik, Melvin Moti, Zwelethu Mthethwa, Bruce Nauman, Joachim Patinir, Anri Sala, Cindy Sherman, Salla Tykkä, Marijke van Warmerdam, Andro Wekua, Guido van der Werve, Sylvie Zijlmans.

Guido van der Werve, 1977. Number Eight. Everything is Going to Be Alright, Finland, 2007, 16 mm film, HD 10’. Part of the collection of Museum Boijmans Van Beuningen

(C) Todas as imagens cortesia do Museu Boijmans Van Beuningen e do Museu de Arte Moderna de Istambul.

Anúncios