Bill Viola

Bill Viola, Silent Mountain, 2001

Bill Viola (n. 1951, NY, EUA) teve um contributo fundamental na consolidação e instrumentalização da vídeo-arte. O vídeo assumiu, com o seu trabalho, um estatuto de forma de arte vital. Há 40 anos que Bill Viola cria instalações vídeo, ambientes sonoros, performances de música electrónica, trabalhos para televisão, entre outros. As suas obras falam-nos da condição humana e das suas experiências mais significativas: o nascimento, a morte, a consciência. As suas raízes podem ser encontradas na arte ocidental e oriental – nas tradições espirituais do budismo zen, sufismo islâmico e cristianismo místico. Usa a linguagem interior, do pensamento subjetivo e da memória colectiva. Os seus vídeos construídos através de uma teatralidade pictória, obtêm um potencial narrativo inesperadamente dramático. As suas obras rementem-nos para um limbo, um mundo intermédio entre o pensamento e a ação. Um estado hipnótico de acesso a vários cenários do nosso (in)consciente colectivo. Ler aqui entrevista dada pelo artista.

Bill Viola, Ablutions

Bill Viola, Dissolution, 2005

Na imagem de destaque: Bill Viola, Silent Mountain, 2001

Anúncios