Arte & Política

Um conceito emergente ‘socially engaged art’. Poderão os recentes protestos contra Wall Street ser considerados arte pública? Deve a arte aspirar a obter o impacto que o teatro de rua, os esforços de uma organização comunitária ou as manifestações anti Tea-Party almejam? Estas foram algumas das questões levantadas na conferência anual da Creative Time. Realizada, em NY, no passado dia 23, no Skirball Center. Organizada pelo curador-chefe da Creative Time, Nato Thompson. Esta conferência debateu de que forma o trabalho dos produtores culturais contribui ou envolve temas e questões prementes que afectam o mundo. Barbara Pollack entrevistou o curador da CT. Ler a entrevista publicada na artnet. A seguir, fotografias dos referidos protestos contra Wall Street via Hyperallergic. Os protestos foram organizados por: Occupy Wall StreetLer aqui mais informações e entrevista sobre este assunto, via Hyperallergic.

Alunas da Escola de Artes Visuais levam a sua voz aos protestos

Membros da organização – Occupy Wall Street – levantam uma bandeira crida, para este movimento de protesto, pelo artista John McCarthy

jovens participam nos protestos

Anúncios