Contour 2011

Contour 2011, 5ª Bienal da Imagem em Movimento

27.08 a 30.10.

Contour realiza-se, de dois em dois anos, durante dois meses (de agosto a outubro) em Mechelen, Bélgica. Desde a sua criação em 2003, a Bienal apresenta-se como o primeiro projecto expositivo, da Flandres, dedicado à arte realizada através da imagem em movimento.

A Bienal apresenta artistas que trabalham com filme, vídeo e instalação, nos locais históricos da cidade. Para a quinta edição foi convidado o curador Canadiano Anthony Kiendl. Através conceito ‘Sound and Vision: Beyond Reason’, a exposição explora a intersecção da música com o vídeo e filme contemporâneos na arte pós-conceptual. ‘Sound and Vision: Beyond Reason’ pretende questionar a autonomia da arte, música e filme e as identidades singulares do artista, músico ou realizador. Mais do que um exercício de justaposição, tradução ou transposição, esta exposição oferece um complexo matrix de som, imagem, significado e experiência.

Gabriela Fridriksdottir & Lazyblood, ‘Bloody Crepuscular Monstrous Rays’ (2011). Image: Christophe Lucienne.

Edith Dekyndt,‘Myodesopsies, Before Life , songs basedon the lyrics of Myodesopsies’ (2001–2011). Image: Pierre-Henri Leman. Courtesy VidalCuglietta Gallery”

Adam Pendleton, ‘Band’ (2009), video still

A acumulação de conhecimento, emoção e experiência fisica na arte, música e filme excede os limites da gestão da linguagem e saber. Enquanto bienal da imagem em movimento, em particular aquela que evidencia a arquitectura do espaço urbano como parte integrante do seu programa, visa contribuir para a construção social do espaço fisico. Sound and Vision desafia os limites da transformação cultural, por exemplo, suscitando o debate sobre  a implicação que os excessos da presença humana podem ter como agentes condutores da radicalização das práticas sociais.

Luis Jacob & Noam Gonick, ‘Wildflowers of Manitoba’ (2007).

Rodney Graham, ‘Rotary Psycho-Opticon’ (2008). Courtesy Rodney Graham and Lisson Gallery

 

Anúncios