The Gravity of Things

Galeria Quadrado Azul (Lisboa)

> 16.11.2013

Inauguração: 26 Setembro (22h)

Com: Sara Barker, Fernando Ortega, Mandla Reuter, Viola Yeşiltaç

Curadoria de Chris Sharp

Na proximidade da magia, ‘The Gravity of Things’ é uma exposição colectiva que gravita em torno de paradoxos da materialidade e imaterialidade, volume e vazio, peso e leveza, assim como da insignificância aparente e importância potencial do menor dos gestos. Esta mostra procura desafiar, em todos os sentidos da palavra, as leis da gravidade, ao contrariar o que é normalmente esperado. Aqui o pesado flutua, o imaterial assume uma espécie de materialidade, o volume e o vazio foram feitos para coexistir, e muito mais.

Nature – Builder (2012) de Sara Barker, uma escultura complexa e multi-parte que está quer sob o plinto quer inclinada sobre a parede, destaca-se como um floreado geométrico instável que ocupa o espaço tanto como, de forma improvável, o inscreve e contém o seu vazio. Entretanto, The Agreement (2011) de Mandla Reuter, que consiste num grande armário de madeira que flutua no centro do espaço, apresenta duas existências distintas, como objecto e como imagem. As mise en scènes fotográficas de Viola Yeşiltaç, Untitled e Untitled (I really must congratulate you on your attention to detail) (2012), de folhas de papel colorido lidas como esculturas liminares, revelam contornos fugazmente fixos e delicadamente suspensos entre materialidade e imaterialidade. E o díptico fotográfico de Fernando Ortega, Shortcut I & II (2010), que retrata o que poderia ser considerada uma intervenção escultórica, descreve uma formiga a atravessar um alfinete que liga duas folhas de uma árvore. Enquadrado com a leveza e a natureza etérea do resto da exposição, este gesto delicado pode, contudo, ter consequências extraordinárias (pensar no efeito borboleta é inevitável) ou mesmo nenhuma… apenas a de ajudar uma formiga a chegar mais rapidamente ao seu destino, sem que ele tenha conhecimento disso sequer. Tudo como se a gravidade das coisas fosse um assunto definitivamente incalculável e perfeitamente impenetrável.

Sara Barker nasceu em 1980, em Manchester, Reino Unido. Vive e trabalha em Glasgow. Uma selecção das exposições individuais inclui: Mary Mary Gallery, Reino Unido (2013, 2012, 2010); e Stuart Shave/ Modern Art, Reino Unido (2012). Uma selecção das exposições colectivas inclui: Nationalgalerie im Hamburger Bahnhof – Museum fur Gegenwart, Alemanha (2013); Saatchi Gallery, Reino Unido (2013); David Roberts Art Foundation, Reino Unido (2012); Tate Liverpool, Reino Unido (2012); Louisiana Museum of Modern Art, Dinamarca (2012); e Museum Morsbroich, Leverkusen, Alemanha (2011).

Mandla Reuter nasceu em 1975, em Nqutu, África do Sul. Vive e trabalha em Basileia, Suíça, e Berlim, Alemanha. Uma selecção das exposições individuais inclui: Kunsthalle Basel, Suíça (2013); Galleria Francesca Minini, Itália (2013, 2010); Croy Nielsen, Alemanha (2013, 2010); De Vleeshal, Holanda (2011); Mezzanin, Áustria (2011, 2009); e Schinkelpavillion, Alemanha (2010). Uma selecção das exposições colectivas inclui: Sorø Kunstmuseum, Dinamarca (2013); Kunsthalle Basel, Suíça (2013); Sprengel Museum Hannover, Alemanha (2012); Kunst Werke, Alemanha (2011); Skulpturenpark, Alemanha (2011); e Kunsthalle Mulhouse, França (2010).

Viola Yeşiltaç nasceu em Hanover, Alemanha. Vive e trabalha em Brooklyn, Nova Iorque, Estados Unidos. Uma selecção das exposições individuais inclui: Cooper Gallery, Reino Unido (2012); e Balice, Hertling & Lewis, Nova Iorque, Estados Unidos (2012). Uma selecção das exposições colectivas inclui: Campoli Presti, França (2013); Bienal de São Paulo, Brasil (2012); Thomas Duncan Gallery, Estados Unidos (2012); Catherine Bastide Gallery, Bélgica (2012); Emily Harvey Foundation, Estados Unidos (2012); Sculpture Center, Estados Unidos (2010); e Museum Folkwang Essen, Alemanha (2010).

Fernando Ortega nasceu em 1971, no México, onde vive e trabalha. Uma selecção das exposições individuais inclui: Kurimanzutto, México (2013); Palais de Tokyo, França (2012); MUCA CU, México (2008); e Museo de Arte Carrillo Gil, México (2008). Uma selecção das exposições colectivas inclui: Miami Art Museum, Estados Unidos (2011); Malmö konstmuseum, Suécia (2008); Museum of Contemporary Art, Chicago, Estados Unidos (2007); Istanbul Modern, Turquia (2007); Bienal de São Paulo, Brasil (2006); e Bienal de Veneza, Itália (2003).

(c) imagem: Viola Yeşiltaç, Untitled (I really must congratulate you on your attention to detail), 2012. C-print, cor. 61 x 71 cm. Cortesia de Galeria Quadrado Azul (Lisboa).

artigos relacionados:

Art Agenda

Anúncios