Duarte Amaral Netto: Afinidades Selectivas

 

Baginski Galeria | Projectos (Lisboa)

5 de Junho – 7 de Setembro de 2013

Afinidades Selectivas’ é a segunda exposição individual de Duarte Amaral Netto na Baginski, Galeria , Projectos.

Em ‘Afinidades Selectivas’ Duarte Amaral Netto propõe uma reflexão acerca da actualidade do género da fotografia de família, e em particular a organização significante das memórias familiares segundo a forma de álbuns. Numa época em que a película e o papel são progressivamente substituídos pelos suportes digitais, o arquivo familiar enquanto receptáculo de memória intimista encontra-se também ameaçado. A gradual desmaterialização da imagem fotográfica, traduzida para arquivos digitais, nivelada aos outros tipos de informação digital, e remetida para discos rígidos, onde é subordinada a denominações imperceptíveis, atinge directamente o género da fotografia de família. O álbum familiar encontra-se cada vez mais descaracterizado, abandonando as formas tradicionais dos dossiês específicos e outras soluções mais artesanais. Neste sentido, desde 2006 que Duarte Amaral Netto desenvolve um álbum de família constituído por transferências de película instantânea para cadernos Moleskine. O primeiro momento de apresentação deste projecto, a exposição ‘Do que nos lembramos quando nos lembramos de nós’ (2010), enfatizava o papel das imagens vernaculares, provenientes do álbum, como elementos potenciadores para a construção de uma ficção em torno da ideia de família. ‘Afinidades Selectivas’, segundo momento, prescreve uma visão mais alargada. Além dos álbuns de transferências, engloba também registos instantâneos e a projecção de slides com uma selecção do acervo de fotografia vernacular do artista. A fotografia e a sua organização em álbuns, enquanto arquivos pessoais de memória significante, afirmam-se assim como elementos primordiais para a criação de sentido da experiência pessoal e familiar.

O trabalho de Duarte Amaral Netto (Lisboa, 1976) explora a natureza contextual da imagem, criando narrativas que diluem a fronteira entre o documental e o ficcionado, através da apropriação e manipulação de imagens de origens diversas. Noutros trabalhos desenvolve ainda composições de caráter cenográfico cuja imobilidade e a artificialidade das poses de personagens e situações remetem para a linguagem do cinema, explorando a ligação transtextual entre fotografia, cinema, pintura e instalação. Duarte Amaral Netto foi finalista nomeado do Prémio BES Photo 2012, tendo apresentado nesse âmbito a exposição Z na Pinacoteca de São Paulo e Museu Colecção Berardo, de Lisboa. A sua formação artística inclui o Curso Fotografia Programa Criatividade e Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian, seguido do Curso de Fotografia da Ar.Co, tendo ainda obtido a Bolsa Kodak (2000) ou o Grande Prémio do 48º Salão de Montrouge em Paris (2003). Expôs no Museu Calouste Gulbenkian em Lisboa, estando ainda representado em diversas coleções, particulares e institucionais, das quais se destaca a coleções BES Arte, Ar.Co, PLMJ e Museu da Cidade.

Baginski, Galeria | Projectos
Rua Capitão Leitao, 51-53
1950-050 Lisboa –Portugal

Clique nas imagens para ampliar:

(C) imagens cortesia: Duarte Amaral Netto, Baginski, Galeria | Projectos

Anúncios