Anjos com Fome (Teatro Meridional)

‘Anjos com Fome’ pelo Teatro Meridional, 2012.

‘Anjos com Fome’ é uma criação do Teatro Meridional que este ano comemora 20 anos. Com encenação e dramaturgia de Natália Luiza, a partir de poemas de Al Berto, Fernando Pessoa, Herberto Helder, Gastão Cruz, Gonçalo M. Tavares e Teixeira de Pascoaes. Em cena até 15 de Abril de 2012. Mais informações aqui. Ver vídeo através deste Link.

“Um sonho ou um poema cénico, em que as narrativas se fragmentam em imagens que passam, se transformam e diluem. São “poemas”  e sonhos de mulheres,  onde o feminino encontra os seus referentes em contos de fadas, nas deusas gregas e sempre nas mulheres de muitas histórias e de muitos lugares. Povoado de símbolos que despoletam ou prenunciam diferentes acções, procurámos dar voz aos arquétipos, às imagens primordiais femininas, na constante repetição da mesma experiência realizada durante muitas gerações. Diz a tradição que uma das missões dos Anjos é ajudar a humanidade a aproximar-se de Deus. Aqui, as mulheres são alguns dos “anjos” que têm fome do mundo e de si próprias.” Teatro Meridional

‘Anjos com Fome’ pelo Teatro Meridional, 2012.

Parabéns ao Miguel Seabra e à Natália Luiza que nos deram o Teatro Meridional, um teatro humano, despido de preconceitos, onde em cada espectáculo se celebra a vida. Parafraseando Federico García Lorca “O Teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana.” Parabéns a toda a equipa do Teatro Meridional e que continue a celebrar essa poesia em forma de vida.

Miguel Seabra e Natália Luíza, fotografia de Augusto Baptista.

O Teatro Meridional é uma Companhia portuguesa vocacionada para a itinerância que procura nas suas montagens um estilo marcado pelo despojamento cénico e pelo protagonismo do trabalho de interpretação do actor, fazendo da construção de cada objecto cénico uma aposta de pesquisa e experimentação. As principais linhas de actuação artística do Teatro Meridional prendem-se com a encenação de textos originais (lançando o desafio a autores para arriscarem a escrita dramaturgica), com a criação de novas dramaturgias baseadas em adaptações de textos não teatrais (com relevo para a ligação ao universo da lusofonia, procurando fazer da língua portuguesa um encontro com a sua própria história), com a encenação e adaptação de textos maiores da dramaturgia mundial, e com a criação de espectáculos onde a palavra não é a principal forma de comunicação cénica. Realizou até à data 31 produções, tendo já apresentado os seus trabalhos em 17 países – Argentina, Bolívia, Brasil, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Equador, Espanha EUA, França, Itália, Jordânia, Marrocos, México, Paraguai, Timor, Uruguai – para além de realizar uma itinerância  anual por Portugal Continental e ilhas. Desde 1992, ano da sua fundação, os trabalhos do Teatro Meridional já foram distinguidos 22 vezes a nível nacional e 6 a nível internacional.

Anúncios