Julius Popp (consciência artificial)

Redefinir a noção de interactividade

Julius Popp (n. 1973, Alemanha) é um artista interdisciplinar que já recebeu vários prémios pelo seu trabalho no campo da  pesquisa científica e inovação artística. O seu mérito é reconhecido no mundo da arte e, também, na comunidade cientifica. O MIT Computer Science and Artificial Intelligence Laboratory e o Fraunhofer Institut, em Bona, estudam as suas criações em laboratório. Popp desenvolve robots nos quais introduz novas formas de inteligência artificial. Usa a tecnologia como meio para explorar e inventar novas linguagens funcionais. A vontade de manifestar as suas preocupações artísticas levou-o a construir máquinas e robots capazes de interagir com o ambiente onde estão inseridos e vir a desenvolver uma forma de consciência artificial. Arte, ciência e tecnologia para criar novas formas artísticas de interactividade. Na instalação bit.fall (nos vídeos) Popp utiliza água para comunicar com o espectador, a mensagem é passada através de uma cascata de água. O input para a instalação é formado a partir de palavras seleccionadas nos sites da internet por um programa de computador baseado em estatísticas. A informação digital é processada produzindo imagens escritas à medida que a água cai. Um dispositivo colocado no teto  é composto por 128 bicos que emitem gotas individuais de água através de válvulas magnéticas. Um programa de computador é utilizado para sincronizar essas válvulas. As gotas caem no chão no recipiente próprio, são depois sugadas por uma bomba e voltam para as válvulas, criando, assim, um circuito fechado. Mais informação sobre o artista aqui.