Ciclo Nicholas Ray na Cinemateca

o realizador Nicholas Ray

Nicholas Ray (1911-1979, Wisconsin – NY, EUA). Estudou arquitetura com Frank Lloyd Wright e trabalhou no teatro como ator, sob a direção de Elia Kazan e John Houseman. Começou a fazer cinema no final da segunda guerra mundial. Os seus filmes mostram-nos heróis frágeis que tentam sobreviver num mundo que não compreendem ou não aceitam e, a par da violência física e psicológica, convivem com a possibilidade de uma paixão arrebatadora e impossível.

Filme Rebel Without a Cause de Nicholas Ray, 1955, na fotografia James Dean e Natalie Wood.

Este ano, 2011, é celebrado o centenário do seu nascimento e a data é o pretexto para realizar  uma retrospectiva integral da sua obra na Cinemateca, num remake revisto e aumentado do histórico ciclo organizado pela Cinemateca, em 1985. Finaliza a Janeiro de 2012 com a apresentação da versão, recentemente restaurada, de We Can’t Go Home Again (o último filme realizado por Nicholas Ray).

“Os filmes de Nicholas Ray despertam paixões e ele próprio, a sua figura, pelo seu percurso e carisma, despertou várias paixões. Muitos cineastas (europeus, sobretudo) o citaram. Houve mesmo quem fosse ao encontro dele, caso consagrado de Wim Wenders, que o filmou por duas vezes. E em vários, de Jarmusch a Godard, de Fassbinder a Almodóvar, a influência de Ray fez-se sentir de variadas maneiras, enquanto homenagem directa ou enquanto inspiração longínqua. Neste Ciclo paralelo à retrospectiva de Nicholas Ray, a Cinemateca vai, também, seguir, em filmes de outros cineastas, o seu rasto, os seus “ecos, descendências e prolongamentos”. Cinemateca

filme Johnny Guitar de Nicholas Ray, 1954, na fotografia Joan Crawford e Sterling Hayden