Fausto (leão de ouro em Veneza)

“Faust” de Alexander Sokurov

Leão de Ouro para o filme “Faust” de Alexander Sokurov

(Festival Internacional de Cinema de Veneza 2011).

Fausto de A. Sokurov não é uma uma mera adaptação da tragédia homónima de Goethe trata-se mais de uma leitura livre do que se passa nas entrelinhas. Ou se quisermos, uma re-interpretação ou revisão de certos aspectos. Qual é a cor de um mundo que produz grandes ideias? Qual o seu odor?  É um mundo onde é difícil respirar? Ele é um pensador, um idealista, um comunicador, que vive de esquemas, um sonhador. Um homem anónimo conduzido por instintos primários: a fome, a ganância, a luxúria. Uma criatura infeliz e perseguida que lança um desafio. Porquê ficarmos só com o que temos se podemos ir mais longe? Mais e mais, levando a pressão ao limite – não percebendo que o tempo é finito. O filme não tem particular relevo sobre os acontecimentos actuais no mundo, é passado no início do século XIX, reflectindo a vontade do realizador de compreender o homem e as suas forças internas. Neste caso a ligação directa entre poder e corrupção. O projecto é inspirado no “Fausto” de Johann Wolfgang von Goethe e no “Doctor Faustus” de Thomas Mann. Foi anunciado, pelo realizador em 2005, como: “um filme muito colorido e elegante com muita música de Strauss e aroma a chocolate“. É falado em Alemão.

“Faust” de Alexander Sokurov

Fausto é o capíítulo final duma tetralogia cinematográfica sobre a natureza do poder. Os personagens principais nos trés primeiros filmes são figuras históricas reais: Adolf Hitler (Molokh, 1999), Vladimir Lenin (Telec, 2000) e o Imperador Hirohito (Solnzte, 2005). A imagem simbólica de Fausto completa está série sobre  jogadores que perderam a mais importante aposta das suas vidas. Fausto está aparentemente deslocado nesta galeria de retratos, um personagem de museu emoldurado por um enredo simples. O que tem ele em comum com os outros personagens que conquistaram o poder? O mal tende a reproduzir-se e Goethe reformula o essencial: “As pessoas infelizes são perigosas.” Alexander Sokurov

“Faust” de Alexander Sokurov

Lista dos restantes prémios do Festival.

“Faust” de Alexander Sokurov

Cerimónia de entrega dos prémios:

Alexander Sokurov

 

Anúncios