Christian Boltanski em Guimarães 2012

Christian Boltanski, exposição Dança Macabra, Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, cortesia Capital Europeia da Cultura.

Christian Boltanski apresenta um novo trabalho concebido, especialmente, para a Capital Europeia da Cultura 2012. Pode ser visto até 9 de setembro no piso 1, sector J, da fábrica Asa em Guimarães.

Este trabalho foi uma encomenda da capital da cultura, intitula-se ‘Dança Macabra’ (Dance of Death) e teve como comissário João Fernandes, atual director artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves e próximo subdirector do Museu Nacional Rainha Sofia, em Madrid. Por ocasião desta exposição, a faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto vai atribuir ao artista uma medalha de mérito. 

Christian Boltanski (1944, França) é um artista cujo tema central da sua obra é a sua própria vida, a verdadeira e a reinventada. Explora, também, outros assuntos como a memória, a identidade, a ausência, a perda ou a morte. 

Ver aqui galeria de imagens da exposição ‘Dança Macabra’. Cortesia Guimarães 2012.
 
Aqui link de acesso a outros artigos, deste blog, sobre Boltanski.

Christian Boltanski, exposição Dança Macabra, Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, cortesia Capital Europeia da Cultura. Fotografia Sérgio Rolando.

A obra de Christian Boltansk lida com questões do reposicionamento da identidade e da reavaliação do percurso de vida individual perante momentos históricos de grande impacto civilizacional. Ao recolocar a sua história de vida, ao apresentar múltiplas possibilidades para esta e para anónimas histórias, o artista está a confrontar-nos com valores de cultura e humanidade que derivam dessa recolocação.

O seu trabalho tem um impacto quase fenomenológico já que convida o espectador a sentir elementos que o afetam muito para além do domínio do visual, como a temperatura das suas instalações, a luz demasiado próxima dos rostos anónimos retratados, a evocação da vida e da morte, da memória e da sua fabricação, da sobrevivência e da consciência coletiva. Boltanski tem um percurso artístico considerável e é dos artistas franceses mais conceituados da atualidade, destaque para as suas mais recentes participações: Grand Palais – Monumenta 2010; Biennale for International Light Art, 2010 – European Capital of Culture RUHR; Serpentine Gallery, 2010, ‘Os arquivos do Coração’; representante da França na última Bienal de Veneza, em 2011. 
 

o artista Christian Boltanski, exposição Dança Macabra, Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, cortesia Capital Europeia da Cultura. Fotografia Sérgio Rolando.