Candida Höfer e Thomas Struth

© Candida Höfer

Candida Höfer e Thomas Struth, até 5 de Setembro, no The Clark – Instituto de Arte Sterling e Francine Clark.

Esta exposição é organizada pelo referido Instituto e todos os trabalhos, em exibição, pertencem a colecções privadas. As fotografias em grande escala de Candida Höfer e Thomas Struth oferecem perspectivas diferentes, mas relacionadas, sobre o modo como as pessoas interagem com os espaços que habitam. Ambos, frequentaram a Kunstakademie (Academia de Arte), em Düsseldorf, na Alemanha dos anos 70. Ambos escolheram espaços públicos como tema, envolvendo-se com a história e a passagem do tempo. A arquitectura da ausência – as fotografias de Höfer (bibliotecas, salas de espectáculo, centros de pesquisa) são, na sua maioria, desabitadas, vazias de pessoas, mas repletas de luz e contemplação (visual e intelectual).

Candida Höfer:

O trabalho de Thomas Struth capta o olhar dos visitantes de museus e de outros edificios públicos e o nosso (quando vemos as suas fotografias) ao observar esses  visitantes, mas com a devida distância fisica e temporal. Este impulso reflexo permite-nos experienciar várias perspectivas históricas, ambas dentro e fora da moldura fotográfica.

Thomas Struth: